União Altaneira Carnaval 2017

Não Tem Arrego!

  • União Altaneira - Carnaval 2017

    União Altaneira - Carnaval 2017

    foto: Fabiana Ribeiro
  • União Altaneira - Carnaval 2017

    União Altaneira - Carnaval 2017

    foto: Fabiana Ribeiro
  • União Altaneira - Carnaval 2017

    União Altaneira - Carnaval 2017

    foto: Fabiana Ribeiro
  • União Altaneira - Carnaval 2017

    União Altaneira - Carnaval 2017

    foto: Fabiana Ribeiro
  • União Altaneira - Carnaval 2017

    União Altaneira - Carnaval 2017

    foto: Fabiana Ribeiro
  • União Altaneira - Carnaval 2017

    União Altaneira - Carnaval 2017

    foto: Fabiana Ribeiro
  • União Altaneira - Carnaval 2017

    União Altaneira - Carnaval 2017

    foto: Fabiana Ribeiro
  • União Altaneira - Carnaval 2017

    União Altaneira - Carnaval 2017

    foto: Fabiana Ribeiro

SAMBA ENREDO 2017
(Alberto dos Santos, Carla Vizeu, Daniel Bueno, Daniel Carezzato,
Gustavo de Medeiros, Maira Guedes, Queila Dias, Sheila Sanches
)

2x Nem o chão quente ou repressão
Hão de dobrar meu pavilhão
Nosso cordão,
Não tem preço, é União! (vou bater pra Ogum)

Tenho como arma meu tambor
Apontado para hipocrisia
A liberdade negada todo dia
A luta pela cidadania
Eu sou professor que acredita
Secunda na ocupação
Sem teto, sem eira nem beira
O índio que perde seu chão
Limpeza na cidade cinza, não vai ofuscar nossa cor,
A arte enfrenta a dor!
Virá na avenida a festa Altaneira
Diversidade contra o golpe é um clamor
Monas, manos e minas: tempo de se empoderar!
Pra descer a ladeira, ieô
Tão pedindo alvará, ah tá!
Pra vir com a gente não precisa de abadá
Quero te ver, travestida de esplendor
Sobe a maré, #hoje vai ter bloco sim
Se joga que a batucada não tem fim!
Laiá

 

AQUI NÃO TEM ARREGO
(Felipe Bemol/Thiago Melo/Luisa Tolles/Eduardo Chatagnier)

2x Aqui não tem arrego 
Vamos tirar o seu sossego
E agora a nossa voz …..não vai calar

Cada gesto, cada olhar
Cada sangue, direção!
Todos temos um lugar
não nos faça distinção 
Nossa força singular
vai barrar a escuridão
Não iremos recuar
da ordem da opressão
REFRÃO 2x

Nossas almas, multicor!
Sonhos… trabalhador!
Nosso exasperado amor
abre os olhos, cantador
Vem pra somar sua luta ao meu fervor
e repare ao seu redor
é possível ver além
seu destino é o meu também

REFRÃO 2x (Ressoará!)

BATUCADA EM PROCISSÃO
(Gustavo de Medeiros, Daniel Carezzato, Chico Santana)

2x Vem descendo União Altaneira
Corrompendo o coração, noite inteira
Com magia e devoção, veia negra
Dou meu sangue pelas mãos, meu irmão

Os pés suportam este peso, do batuque em procissão
A carne laceia, a pele incendeia, faz tremer o chão
Entrega o seu corpo em sacrifício
A batucada exercendo o seu ofício
De encontro com o povo, vibrando no olhar

Desperta tambor, faz burugudum
Batucando juntos somos um
E faz perceber, que a vida é bem mais que sofre
A força da união faz transcender

2x Tum tum tum, tum tum burugudum
Laiá laiá laiá laiá

PODER DA MULTIDÃO
(Sambareggae –
Maíra Guedes)

Venham ver, como o povo em maestria,
em corda bamba, se levanta, fim do sofrer
Carnaval, já é hora de trazer a esperança
Que a arte alcança, e faz reviver
Parece que as cores do céu, chegam belas pra anunciar
Que o modo cinza de ver, nunca fez um tambor parar!
Pelas regras de coronel, coagindo o povo a calar,
O batuque vem pra dizer, que não vamos nunca arregar, aaá, aaá
Que não vamos nunca arregar!

2x Abre a sua fronte pelos direitos, que a nossa luta vai começar
A alegria é resistência, União Altaneira que vem te embalar
2x Ieô, minha voz não cala, e eu vou no tom do amor
Ieô, e a batucada, o meu bloco na rua nunca arregou (1º x) Revolucionou (2 ºx)

(Funkadência – Diogo Nazareth)
Nego véio disse que o poder da multidão, irmão,
É embalado pelo som do reggae ao pancadão,
A massa é zica e tem golpista loko achando que ta bom,
Vai esperando então, Jão,
Sufoco é poca fita,
Tu já tá na nossa lista,
Chega de selva de pedra, dessa de cidade cinza,
Já posso ouvir o som da grande Babylon ruindo pelo chão e o Bloco da União,
Seguindo a avenida

 

SOU RITMISTA
(Chico Santana)

2x Sou ritmista, batuqueiro Altaneiro
Faço samba o ano inteiro, não me canso de tocar
O tambor é a razão do meu viver,
Se tem batuque vou até o amanhecer

Escuto o apito, já fico ligado
Visto a minha peça, o samba já vai subir
Baquetas em punho, talabarte ajustado
Corpo preparado, o ritmo vem aí
A pele do repique anuncia
Convoca com clamor a bateria
Aminha pele toda se arrepia
Quando o batuque começa a vibrar
A força do conjunto em harmonia,
cadência reverbera e contagia
o axé de cada um em sintonia
faz a nossa vida pulsar

 

BAQUE DE LUTA (côco)
(Marina Tenório)

Batucada de luta
Vem descendo União, que segue na labuta   2x

Pra arrastá  sua sandália
Dá umbigada
E bater um coco na  palma da mão
Altaneira é  forte no baque
Tua toada vem do coração   2x

Vem findá  esse sofrer e acabar com tanta dor
Quando eu toco o meu ganzá é  no ritmo do amor
É  que hoje tu não vai me oprimir meu irmão
Agora é carnaval,  tu não vai me calar não

Batucada de luta…..